Desvendando o Livro 'Fundação' - Diário de Leitor

Escrito por Miaka J. S. Freitas - segunda-feira, novembro 24, 2014

Como prometido na resenha de Fundação, que pode ser lida nesse link, estamos aqui falando mais um pouco do livro que ainda tem muito a ser explorado. Pode ser que tenha um pouco de spoiler aqui em baixo, leia apenas se queira correr os riscos.
Também convido a todos a deixarem nos comentários suas impressões sobre esse novo jeito de avaliar e falar mais sobre o assunto. Se gostarem, vamos continuar com postagens desse jeito!

“A Fundação e sua Correlação com a História Mundial”

O livro conta a história de uma sociedade que foi fundada na periferia da galáxia para que essa pudesse registrar toda a história acontecida até então, preservando assim o conhecimento, quando tudo mais estiver perdido ao tempo. Mas as coisas começam a se encaminhar para outro lado da moeda, quando o grande Seldon revela seus cálculos de psico-história e prevê o fim do império galáctico como se conhece.

A fundação então tem que exercer seu papel fundamental nesse futuro: ser a sociedade que irá restaurar um novo império galáctico.

Aqui vemos a evolução da sociedade, deste da época primitiva, sem o advento da tecnologia e ciência até o uso extrapolado disso em beneficio próprio. Ainda não entendeu? Vamos lá!

Pra explicar melhor, vamos falar sobre história e relembrar as aulas que você achava chato (ou não) em seu ensino fundamental. Lembram da idade média? Onde a dominação da massa populacional se dava especificamente com o uso da religião? Aqui as coisas começam com isso também. Depois da religião, o surgimento de reinados sem ter o foco principal a religião. Depois com a evolução pro comercio, que também vemos na história mundial a expansão das nações com o comercio marítimo, e que por fruto disso, muitas outras áreas do mundo foram descobertas e dominadas em uma espécie de colonizador e colônia (vide a história do Brasil como um bom exemplo disso).

Posteriormente, tem ainda mais coisas.

“A Fundação e sua semelhança com O Guia”.
Capas dos livros "O Guia do Mochileiro das Galáxias" e "Fundação"
Foto do Acervo Pessoal
Outra coisa que eu gostaria de frisar nessa resenha é a semelhança que encontrei com o livro O Guia Do Mochileiro das Galáxias. Eu sei que eu já sou bem viciada no livro de Douglas Adams, não precisam repetir nos comentários. E antes que venham com pedras nas mãos, o livro Fundação tem uma estrutura bem similar com o do Guia, nada mais.

Até porque o Guia tem uma pegada mais humorística e satiriza toda a história, transformando em uma grande sátira e critica a sociedade da época em um modo mais Os Simpsons (numa comparação grotesca). Já o livro Fundação tem uma pegada mais séria para contar sua história (e até um pouco mais politicalizada e historializada).
Pagina Extraída do Livro Guia do Mochileiro das Galáxias - Douglas Adams
Trecho referente a citação da "Enciclopédia Galáctica" e do "Guia do Mochileiro"
Foto de Acervo Pessoal 
Mas acontece que ambos têm a alternância de dois jeitos de contar a história: a narrativa direta e seu apoio complementar com passagens retiradas de outros livros. No caso, o do Guia tem passagens do próprio livro O Guia do Mochileiro das Galáxias, que é uma enciclopédia um pouco politicamente incorreta sobre o universo e o livro Fundação tem sua Enciclopédia. Ambos os livros só existem no universo de suas próprias narrativas e servem de apoio para contar a história narrada e também dá mais detalhes acerca a algumas informações importantes, sem parar a narrativa para ficar explicando termos ou acontecimentos históricos.
Pagina Extraída do Livro Fundação - Isaac Asimov
Trecho referente a citação da "Enciclopédia Galáctica"
Foto de Acervo Pessoal 
Um pouco mais sobre Isaac Asimov:

Esse pai da ficção escreveu e editou mais de 500 livros, entre os quais a série Fundação; o livro O Fim da Eternidade; Eu, Robô e O Homem Bicentenário. Além de seus sucessos em ficção cientifica, ele também foi bem sucedido com tramas de detetive e mistério, enciclopédias, livros didáticos, textos autobiográficos e vários trabalhos científicos. 

  • Compartilhe:

Você poderá gostar também

4 recados

  1. esse livro é muito bom e depois me diz o que achou dos desconhecidos

    um grande abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Questão,
      sim, eu já estou lendo o Desconhecidos, mas como eu gosto de ler cuidadosamente tudo que eu recebo, eu ainda vou demorar um pouquinho a publicar a resenha =) (também tem o fato que tem muitas obras que já li mas ainda não publiquei a resenha), mas prometo que ainda em 2014 eu publico meu parecer sobre Desconhecidos XD

      Beijinhos =*
      Apareça sempre!

      Excluir
  2. Nossa, se lembra a escrita do "Guia" eu já quero para ontem.
    Eu ainda não conhecia esse livro, mas lendo seu post fiquei bem interessada!

    http://www.estandybooks.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Andy,
      a escrita de Fundação é mais séria que o de Guia, já que o Guia é bem mais cômico e satírico.
      Mas a organização de ambos terem um livro dentro do próprio livro é uma semelhança bem interessante. E pode até tentar ver mais algumas semelhanças entre as duas obras XD

      Atenciosamente,

      Miaka Freitas!

      Excluir

Seu comentário é muito importante para o crescimento, amadurecimento e manter a qualidade do blog.
Todos os comentários serão respondidos, então marque as notificações!
Deixe seu link no comentário, terei o prazer de retribuir a visita.
Segui. Segue de volta? Se eu gostar, seguirei com prazer!
Beijinhos da Miaka-chan =*