[Resenha] A Pessoa Amada

Escrito por Miaka J. S. Freitas - quarta-feira, julho 24, 2013

 Segunda resenha da Editora NewPOP! 
 

SINOPSE: O amor, traduzido em várias formas, atrapalhado pelo tempo, pela distância, pelas dúvidas. Nem tudo é flor, mas sempre existe uma saída. E nas mãos das meninas do CLAMP, você vê as esperiências reais que os relacionamentos podem proporcionar, transformando o mais mundano dos amores em histórias fantásticas.

Como nessa semana não podia faltar a obra do grupo CLAMP ser avaliada.
 
Realmente os traços sempre exalam detalhes e a delicadeza magnífica das obras desse grupo, mas isso já é de conhecimento geral (afinal, não é a primeira obra do CLAMP em terras tupiniquins).

Essa obra, em especial, não é uma história contínua a ser desenvolvida durante todo o volume, mas sim várias histórias de romance reunidas em um volume único. Além das mini-histórias contadas, têm, a cada história, algumas poucas paginas explicando o motivo, inspiração ou causas que levaram a aquele fato ali contado.

Realmente as artistas da CLAMP conversam com a gente a cada pagina que conta um pouco das histórias que aconteceram com elas ou conhecidos.

Foram 12 histórias que desenvolve um aspecto sobre amor e relacionamento. Cada qual com um foco diferente. Esse volume levou 2 anos para ficar pronto (de 1993 a 1995).

As personagens não têm nomes e as histórias são comuns, então é bem fácil você se identificar com elas, e com mais de uma história. É aconselhável a todas as meninas românticas.

As histórias são:

Diferente – trata daquela vontade que temos de ser diferente aos olhos de quem a gente ama, de mudar um pouco do cotidiano, surpreender e também mudar do que somos normalmente, seja para consertar um erro, seja para ser alguém melhor. Pessoalmente foi uma das histórias que me identifiquei e como estou namorando atualmente, vejo que pareço muito mais com essa personagem, pelo jeito de pensar. Já passei por muita situação descrita nessa história. Essa é a única história colorida do volume.

Gracinha – Aqui temos a cofusão que a personagem faz quando ouve algum elogio com a palavra “gracinha”. Concordo que é um elogio ambíguo e realmente não dá pra imaginar quando se escuta “fulano de tal é uma gracinha”. Faz-se a mesma confusão com a palavra “fofo”.

Quero te ver - Essa personagem namora um mangaka e como todos os leitores de mangá sabem, mangaka sofre como condenado e quase não tem vida social e tempo livre, então a nossa protagonista sofre por saudades.

Mais novo – essa protagonista namorava um cara mais novo, porém foi “dispensada” por causa da diferença de idade. Mas não se apaixonamos pela idade, mas pela pessoa e ela aprende que as coisas são pelo acaso, não importando a idade.

De repente – E falando que as coisas acontecem ao acaso, essa história mostra que o “amor” surge de repente.  

Juntos – Conta sobre aquela vontade de ter coisas em comum com quem gostamos, para ter o que conversar, poder fazer juntos, ficar mais tempo com sua companhia.

Bonita – A vontade de ficar “bonita” para a pessoa que gostamos é tratado nessa história. Aquele planejamento para agradar a pessoa, se sentir bonita, na altura. Para a protagonista estava tudo planejado, mas por virtude do tempo, tudo foi por água a baixo e não teve tempo para ficar tão bonita como imaginava.

Insegurança – E como na história anterior, dizendo que nada combina para deixarmos bonita aos olhos de quem amamos, tem a insegurança. Quem se apaixona sofre desse “mal”. Será que sou amada? Será que vou ficar com você? Toda mulher já sofreu de insegurança e o engraçado que só um “eu te amo” ou um abraço, já acaba essa insegurança.

Coragem – Pelo titulo é meio obvio, a história se passa no dia de São Valentim, que é o dia dos namorados e como se sabe, é comum, no Japão,  as garotas darem chocolates para quem gosta e se declarar. É nesse dia que se cria coragem para se declarar e assumir sentimentos. É o que nossa protagonista faz: assume esse risco.

Normal – A duvida que se instala na personagem é o que leva os casais evoluírem o namoro para um casamento. Simplesmente o fato de amar e querer ficar para sempre perto da pessoa? Na verdade, é um sentimento “normal”.

Distância – Será que um sentimento dura com a distância? Mais uma vez uma insegurança aparece (risos), o “amor” nos deixa bobos e cheios de duvidas. Mas com a presença da pessoa amada sempre se desfaz todas as inseguranças.

Casamento – Como disse, a insegurança rodeia esse sentimento que é o “amor”, aqui a nossa protagonista vai casar e está com duvidas se irá mudar. Para muitos o casamento é um estágio final de um relacionamento, o ápice do sentimento entre duas pessoas levam a casar, mas será que o relacionamento muda depois do casamento?

Cada história ficou sendo interpretada por uma personagem feminina diferente e no sumário cada personagem foi disposta para representar a sua historia, o que lembrou As Cariocas (aquele seriado da Globo que até fez um sucesso).


LEMBRANDO AOS LEITORES: Temos o sorteio do livro "Visões Noturnas" do autor Mauricio Caldeira. A meta é atingir 500 seguidores. Esperando o que? Acesse o link e participa!

  • Compartilhe:

Você poderá gostar também

0 recados

Seu comentário é muito importante para o crescimento, amadurecimento e manter a qualidade do blog.
Todos os comentários serão respondidos, então marque as notificações!
Deixe seu link no comentário, terei o prazer de retribuir a visita.
Segui. Segue de volta? Se eu gostar, seguirei com prazer!
Beijinhos da Miaka-chan =*