Transcendence e O Eterno Barnes - Transferência da Mente Humana

Escrito por Miaka J. S. Freitas - sexta-feira, fevereiro 27, 2015

Acomodados do meu Sofá, como foram a semana para vocês?

Retirado do banco do Google Imagens
Resolvi hoje falar do filme Transcendence, com  o Jonny Deep. Por favor, façam uma coisa para vocês mesmos, se forem ver o filme escolham legendado. A dublagem desse filme em especial ficou ainda pior que outras dublagens que vi. Só assisti dublado porque minha mãe sempre escolhe dublado (acho que ela tem uma preguiça de ler as legendas). E eu não posso falar desse filme, sem fazer uma correlação a obra resenhada recentemente chamada O Eterno Barnes.


O filme Transcendence e o livro O Eterno Barnes falam sobre o mesmo assunto, mas de abordagens diferentes. A temática em comum deles é a transferência da mente humana para uma maquina.

O livro trata-se de um médico que analisando um fato meio que obvio notou que estava ficando velho e não poderia viver para sempre (parece que estou banalizando o fato, mas quero logo resumir do que se trata) e para isso ele chegou a uma pesquisa para transferir suas memórias para um outro cérebro, como se fossem apenas dados de um computador e que transferisse para outro HD. Já o filme trás a temática em uma abordagem também da transferência de mente, mas para dá vida a uma inteligência artificial, onde ela teria uma capacidade melhorada de raciocínio humano, como se desse alma para uma maquina.

Para sustentar essa hipótese de que maquinas poderiam evoluir e ter sentimentos, que você poderia dá uma alma para um apanhado de cabos e dados de programas, foi sustentada o fato que um cientista estava criando uma inteligência artificial que seria a solução para problemas orgânicos (seja a nossa saúde, onde ele detectaria problemas na genética, nas células, como um câncer e combateria, como na natureza, podendo recuperar floras perdidas, águas poluídas etc),Porém, um grupo de rebeldes com medo do que poderia se criar uma arma bélica em que algum momento poderia se rebelar contra a raça humana e nos escravizar (como sempre vemos em quadrinhos e em outros filmes), eles tiveram a brilhante idéia de matar toda a equipe desenvolvedora da tecnologia para que o mesmo estudo seja parado.

Retirado do banco do Google Imagens
Acontece que, não conseguiram em curto prazo impedir isso, o cientista criador de tudo, mesmo com um mês de vida por motivos que vocês vão ter que descobrir assistindo, transfere sua consciência para a maquina que ele criou, mesmo não sabendo se ia dá certo. Mas deu.

Acontece que, depois disso, ele consegue se expandir e fazer vários "milagres" e isso deixa o grupo rebelde ainda mais apavorados e eles decidem impedir isso.

Pronto, esse é o contexto da história.

Acontece que você descobre que de todo a maquina realmente criou uma “alma”, tem uma consciência humana e sabe distinguir o bem do mal. O filme mostra que mesmo em um computador, a mente que foi transferida está intacta, é a pessoa que está ali e não apenas uma maquina que aparenta ser humana como todos estavam pensando. E que tudo feito por ele foi uma prova de abdicação e amor pela sua companheira.

O filme juntou, que para mim, são dois grandes atores: o Jonny Deep (para leigos o Capitão Jack Spearrow) e o Morgan Freeman (que para os leigos é o Deus, de Todo Poderoso). Esses dois figuraças fazendo o papel de mentes mais brilhantes da terra. E realizando um feito realmente hollywoodiano.

Foto cedida pelo Autor
Já em O Eterno Barnes, as motivações de Barnes, nosso protagonista, é mais gananciosas e egoístas. Por puro desejo em viver para sempre, Barnes tenta alçar a eternidade fazendo uma pesquisa audaciosa: como transferir uma consciência para um outro corpo.


E como diria nosso querido Sheldon Cooper (do seriado The Big Bang Theory, com matéria no blog) ainda haverá um tempo em que poderemos transferir nossa consciência humana para um robô. E se isso realmente puder ser feito um dia? Até onde chegaria nossa capacidade de raciocínio e nossos aprimoramentos em conhecimento e técnicas? Até onde seriamos humanos? A humanidade acabaria nessa evolução? Aonde se chega, caso a ficção um dia mostre um futuro onde isso poderia ser possível, é que o poder disso é inimaginável, chegaríamos a ser eternos. A única coisa que poderia parar uma consciência humana em uma maquina, é ter energia e suporte o suficiente para mantê-lo ligado e "vivo". Já na teoria de O Eterno Barnes, ainda seria mais perigoso, pois o único "empecilho" é a existência de um corpo humano vivo para ele transferir seus dados, mantendo assim um circulo vicioso transferindo seu cérebro para outros corpos e assim " rejuvenescendo " por um tempo até se cansar. 

  • Compartilhe:

Você poderá gostar também

2 recados

  1. nada haver, no filme eles fazem uma cópia da consciência, transferir é totalmente diferente, transferir é mudar uma consciência original para outro corpo, não fazer uma cópia da original.

    ResponderExcluir
  2. Não é o meu favorito, mas eu gostei. Eu gostei, havia muitos elementos que pareciam muito atraente para mim, a sequência de ideias foi bom, mas alguma coisa aconteceu durante esse filme que não se conformava Trascender; no entanto, é um muito interessante para quem gosta de filme de ficção científica, o colapso da humanidade e do governo conspirações. Ele tem seus contras, mas é definitivamente interessante perguntar-nos mesmo com filmes, dilemas éticos que existem na ciência e desenvolvimento. Nós dois estamos dispostos a sacrificar a nossa ética e morais, a fim de salvar vidas; um debate que queima quando se trata de células, nanotecnologia e ciência médica-tronco.

    ResponderExcluir

Seu comentário é muito importante para o crescimento, amadurecimento e manter a qualidade do blog.
Todos os comentários serão respondidos, então marque as notificações!
Deixe seu link no comentário, terei o prazer de retribuir a visita.
Segui. Segue de volta? Se eu gostar, seguirei com prazer!
Beijinhos da Miaka-chan =*